Bem-vindos ao Marrocos!


O Marrocos é um país localizado na região do Magrebe, no norte da África. Geograficamente, é caracterizado por um interior montanhoso acidentado, grandes extensões de deserto e um longo litoral que vai do Oceano Atlântico ao Mar Mediterrâneo.


O Marrocos tem uma população mais de 33,8 milhões de pessoas e uma área de 446.550 quilômetros quadrados. Sua capital é Rabat e a maior cidade é Casablanca. A cultura marroquina é uma mistura de árabes, berberes nativos, africanos subsaarianos e influências europeias. A religião predominante

é o islã e as línguas oficiais são o árabe e tamazight. O dialeto marroquino, chamado Darija, e o francês também são bastante falados. O Marrocos é membro da Liga Árabe, da União para o Mediterrâneo e da União Africana. Tem a quinta maior economia do continente africano.


Pontos turísticos


Mesquita Hassan II (Casablanca)


Talvez este seja um dos pontos turísticos do Marrocos mais deslumbrantes, já que a estrutura colossal da mesquita impressiona por seu tamanho e sua riqueza arquitetônica. São muitos detalhes, diversas salas e uma imponência religiosa e cultural singular. E a melhor parte: é a única mesquita aberta à visitação de viajantes não-muçulmanos no país. Além disso, os 20 mil metros quadrados da construção têm capacidade para receber 25 mil fiéis. Construída de frente para o mar, a mesquita tem o minarete mais alto do mundo. A torre tem 200 metros de altura, tamanho equivalente a um prédio de 50 andares!


Durante as orações, as visitações se encerram e apenas os muçulmanos são autorizados a participar. Então, vá visitar já sabendo que as visitas são guiadas e têm horários específicos. É importante também estar atento às vestimentas permitidas, ou seja, nada de bermudas, ombros de fora ou decotes. E não é permitido entrar calçado, então é provável que lhe deem um saco para colocar nos pés até o término da visita.



Praça Jamaa al Fna (Marrakesh)

Esta praça é mais um ponto turístico do Marrocos. Localizada no centro de Marrakesh, fica dentro da medina e é nessa área que pulsa a vida da cidade. Hoje, o local é Patrimônio da Unesco. Durante o dia, pode-se encontrar os populares encantadores de serpentes, domadores de macacos e algumas barracas de vendas de especiarias. É o melhor horário de visitação para quem não curte muito a multidão. Além disso, é preciso prestar atenção às fotos, os artistas e encantadores cobram por isso. Então, sugiro que combine o valor antes para que não haja problemas.


Quando a noite cai, os artistas e vendedores saem e as barracas de comida típica, músicos e artistas de diferentes estilos entram em cena. Há também diversos bares, restaurantes e lojas de souvenirs em

volta da praça.



Jardim Majorelle (Marrakesh)

Marrakesh é uma cidade exuberante e por vezes caótica. Mas é possível encontrar lugares que fogem da confusão da cidade grande, como o Jardim Majorelle. O oásis botânico foi criado pelo pintor francês Jacques Majorelle, que se estabeleceu na cidade e era apaixonado pelo mundo árabe e pela arte islâmica. Além disso, há uma vasta variedade de plantas no local, além de um museu exuberante de ornamentos e jóias. No coração da cidade, o jardim era propriedade particular do estilista Yves Saint Laurent, já falecido.



Palácio Real (Fez)

Fez é a cidade imperial mais antiga do Marrocos. As cidades imperiais são as localidades em que as dinastias estabeleceram residências oficiais. O Palácio Real de Fez não é a casa dos reis marroquinos, mas uma sede político-administrativa. Sendo assim, cerca de 2 mil pessoas trabalham e residem lá. Edificado em 1864, o imenso palácio foi construído fora da medina antiga, o que fez com que outra medina fosse necessária para abastecer as necessidades dos reis. Contudo, é importante saber que não é permitido visitar o palácio em seu interior, portanto, os visitantes têm que se contentar com a bela vista das portas de entrada. As grandes portas de bronze são rodeadas por pequenos azulejos de cerâmica azul e verde com diversas formas geométricas.



Dunas de Ergh Chebbi

Para aqueles que desejam se aventurar pelo deserto, um dos pontos turísticos mais procurados pelos turistas são as dunas de Erg Chebbi. Além de fazer uma excursão ao deserto do Saara e aproveitar a atmosfera da região, você também pode optar por esta outra parte marroquina do Deserto do Saara. As dunas de Erg Chebbi oferecem mais segurança, além da infraestrutura local que eu considero melhor para quem não está acostumado com o clima da região.


Neste local, é possível encontrar a tradição dos povos nômades, famílias que ainda vivem em tendas. Portanto, é necessário contratar um guia para ter acesso ao local e ter tempo para esta visita. Além disso, Erg Chebbi está a mais de 10 horas de carro da capital. Sendo assim, o ideal é reservar 3 dias e 2 noites para este passeio inesquecível.



Montanhas do Atlas

Para quem busca um road trip diferentona, esta é a melhor opção! A Cordilheira do Atlas se estende por vários países, incluindo Marrocos, Argélia e Tunísia. Portanto, a experiência cultural será única neste local, pois todo o povo que habita na região é berbere, o que assegura momentos de muita aprendizagem. Além disso, kasbahs, montes e picos podem ser visitados e a aventura é garantida com trilhas, cataratas, o verde da vegetação se mesclando com o vermelho da terra e até mesmo neve!



Comida tradicional


Tajine

Eu não poderia começar essa lista com outra comida a não ser o Tajine (ou tagine). Tajine é o nome do prato mais tradicional do Marrocos – e também é o nome da panela de barro na qual ele é feita. Ela resiste a altas temperaturas e o seu formato de cone faz com que o vapor circule e auxilie na cocção – fazendo com que as carnes fiquem muito macias. O prato é servido nessa mesma panelinha, ainda fervilhando. Existem diversas variações de tajines. Os mais comuns são de frango, azeitona e limão confitado, kafta com ovos, cordeiro com frutas secas e oleaginosas, peixe e legumes.



Cuscuz Marroquino

O cuscuz marroquino é diferente do que se come no Brasil. Lá a sêmola (cozida no vapor ou na água) é servida coberta com um ensopado de legumes ou carnes – é uma refeição completa.



Pão Berbere

Prepare-se para se apaixonar pelo pão marroquino! Em todos os restaurantes que você for, assim que sentar na mesa, vai receber uma cestinha de pães. Para os marroquinos mais tradicionais, que comem com a mão, o pão também serve como um utensílio para auxiliar no momento da refeição. Feito de maneira artesanal, o pão marroquino (ou Berbere) geralmente leva apenas farinha de trigo, sêmola e água, e é assado em formato achatado no forno de barro.


Café da manhã: Baghrir

As comidinhas do café da manhã marroquino merecem um destaque especial. O Baghrir é uma panqueca cheia de pequenos furinhos. Além de gostosa, eu achei lindíssima!


Chá de hortelã


O chá de hortelã é a bebida mais consumida do país, e você certamente vai ser recebido em seu hotel ou riad com um chá bem quente – servido com uma larga distância entre o bule e o copinho. É

muito bonito de ver essa técnica dos marroquinos!


No Marrocos, beber o chá também é uma cerimônia, um momento de conversa, de troca de experiências, uma tradição que demonstra hospitalidade.



Tradições do casamento marroquino


Banho marroquino

O banho é uma das cerimônias básicas para a noiva. Dois dias antes do casamento, a noiva, acompanhada de suas companheiras, vai tomar o típico banho de vapor, além de receber uma massagem e banhar-se com um sabonete perfumado. A cerimônia geralmente se estende por 3 dias. É um costume bastante tradicional do país.



Hena

A cerimônia da hena é realizada antes do casamento e é um dos rituais que estão em vigor no Marrocos há décadas. Quando a noiva chega, seus amigos tatuam com hena várias formas únicas em suas mãos e pés. Estas inscrições e decorações têm significados profundos na cultura marroquina. Acredita-se que afasta os maus espíritos, traz boa sorte e aumenta a capacidade de uma menina de ter filhos.



Dia do Casamento

No dia do casamento, a família do jovem envia um pacote de presentes para a noiva, incluindo vestidos tradicionais, joias, açúcar, tâmaras, etc. Normalmente aluga-se uma grande casa para o casamento, que acontece a partir das 21 horas. Muita hospitalidade é oferecida aos participantes, incluindo doces deliciosos, suco de frutas, chá de menta e café, e o noivo e sua família dão as boas-vindas aos convidados, enquanto a noiva está ocupada se preparando, pois a menina é tratada como uma rainha: criadas são alocadas para ajudá-la a usar vestidos tradicionais, alguns dos quais seguem as tradições da região. Depois disso, chega o momento de os noivos aparecerem juntos na frente do público, e eles se sentam em poltronas luxuosas com decorações distintas destinadas a eles. O jantar é servido aos participantes durante a cerimônia, portanto os convidados são divididos em duas partes: uma seção para os homens, onde eles se sentam e jantam primeiro, e depois que terminam é a vez das mulheres. Depois disso, os convidados saem para celebrar e dançar ao som de canções tradicionais.


Roupas

A noiva usa trajes tradicionais marroquinos que refletem a história do Marrocos, independentemente da classe social, vila ou cidade. O branco e o capuz vermelho são típicos, e também exigem grande habilidade na costura.


Rituais estranhos

Há também alguns rituais estranhos praticados durante o casamento marroquino, como a chave da bondade e bênção. Este ritual remonta à cidade de Asilah, no norte de Marrocos, onde a família do noivo dá à noiva uma peneira cheia de farinha e acima dela uma chave como símbolo de bondade e bênção. A noiva deve levá-la para indicar que ela assume as responsabilidades de sua casa.


#marrocos #magrebe #africa #tajine #tagine #fez #marrakesh #casablanca #rabat

Endereço

R. Afonso de Freitas, 45   |   Paraíso

CEP 04006-050   |   São Paulo - SP   |   BRASIL

Fique por dentro das nossas novidades!

Formas de pagamento

Cartão de crédito (à vista ou parcelado)

Cartão de débito

Boleto bancário

Depósito ou transferência

© 2021 Centro Árabe

Design: Ana Key Kapaz

Logo Centro da Língua Árabe